sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Palafitas mudam plano de hidrovias em Recife

25/09/2015 - Diário de Pernambuco

TÂNIA PASSOS

O projeto de navegabilidade Rios da Gente terá que encolher um pouco mais para se manter viável, pelo menos temporariamente. O plano B será usar a Estação do Derby como alternativa de integração com o BRT, enquanto o metrô não é opção. Um dos entraves é a remoção da palafita da comunidade Roque Santeiro, nas imediações da futura Estação Central, que prevê integração com o metrô. De um total de 1,2 mil famílias, cerca de 241 ainda não têm solução habitacional.

A Secretaria das Cidades estuda trabalhar a rota Oeste com as estações da BR-101, Torre, Santana e Derby, até que todas as palafitas sejam removidas do caminho da Estação Central. De acordo com a secretária executiva de articulação, Ana Suassuna, a mudança não trará forte impacto na demanda prevista para a rota Oeste de 10,5 mil passageiros. "Os estudos estão sendo feitos pelo Consórcio Grande Recife em razão das linhas que poderão ser integradas à navegabilidade, mas já temos indicativos que não haverá redução significativa na demanda”, revelou.

Para quem mora nas imediações da BR-101, o rio é uma solução para escapar dos congestionamentos das avenidas Caxangá, Norte e a Rui Barbosa. A dona de casa Edvânia Silva, 36 anos, pega ônibus na BR-101 bem ao lado da futura estação de navegabilidade. "Moro na Iputinga e, para ir para o Centro, eu pego Monselhor Fabrício. Se tiver mesmo o transporte pelo rio, acredito que irá melhorar muito”, afirmou.

Das cinco estações previstas da rota Oeste, apenas a da Torre não teve o canteiro de obras implantado. O Diario foi em todas as estações e constatou que as obras continuam paradas. No terreno da estação Central do metrô está funcionando um estacionamento. Nas outras, a área está cercada com um ou dois trabalhadores. "A obra da Estação Santana está sendo retomada ainda este ano.

Na estação da BR-101, também não há sinal de obras e as embarcações usadas na dragagem do rio estão encalhadas em um terreno ao lado. A previsão é que os trabalhos sejam retomados em outubro. A nossa estimativa continua sendo até o final de 2016”, ressaltou Ana Suassuana.

Segundo a Secid, foram dragados nove dos onze quilômetros do ramal Oeste. O trecho que falta está localizado justamente na área das palafitas e a interrupção teria ocorrido para não provocar instabilidade nas edificações. Já o edital de licitação da concessão do serviço tem previsão de lançamento em janeiro de 2016.