quarta-feira, 25 de julho de 2012

Alphaville está pronta para lançar cidades inteligentes

24/07/2012 - Brasil Econômico, Regiane de Oliveira

A exemplo do que está fazendo a Odebrecht no Recife, empresa de urbanismo tem três áreas para abrigar novos bairros/cidade

O projeto Cidade da Copa, desenvolvido pela Odebrecht no entorno do estádio Arena Pernambuco, na zona Oeste do Recife, vem ganhando destaque por unir conceitos modernos de urbanização. Em uma área superior a 220 campos de futebol, o empreendimento vai contemplar áreas comerciais, residenciais, de lazer e de estudo, em meio a uma tecnologia de ponta e que respeita o meio ambiente. Este projeto não será o único a seguir essa tendência. O conceito de cidade inteligente vem ganhando espaço nas pranchetas de tradicionais empresas de urbanismo, como a Alphaville, da Gafisa.
Prestes a completar quarenta anos do primeiro condomínio planejado do país, construído em uma área inicial de 500 hectares comprada em Barueri, em São Paulo, a desenvolvedora prepara terrenos em Brasília, Fortaleza e na região metropolitana do Recife para criar novos núcleos urbanos a exemplo do que foi feito em Barueri.
São áreas de 20 milhões de metros quadrados, o equivalente a 2 mil hectares ou 1,8 mil campos de futebol - semelhante ao espaço ocupado em Barueri a partir do terreno inicial. "São terrenos tão grandes que podem ser comparados ao município de Botucatu, no interior de São Paulo", afirmou Denise Nóbrega, diretora de negócios da Alphaville.
Segundo a executiva, o plano da empresa é ir lançando aos poucos, conforme a demanda local. "A implementação será feita de médio a longo prazo. Não podemos inundar o mercado com 10 mil lotes de uma vez só", diz.
Em Brasília, o primeiro lançamento na área que será um novo núcleo urbano foi feito em 2010 e a empresa prepara agora a segunda fase do empreendimento, batizado de Alphaville residencial 2, a ser lançado em breve. "Os lançamentos são entre um ano e um ano e meio. Há projetos para os próximos 15 anos", afirma.
Entre muros
Os novos projetos da Alphaville têm muita diferença em relação ao que foi desenhado para o de São Paulo há cerca de 40 anos. O conceito é o mesmo, de residenciais com uma rede de serviços ao redor, atraindo empresas, sob a égide da sustentabilidade. Mas as novas tecnologias, especialmente na área de segurança, estão mudando a forma como se trabalha com os projetos urbanos.
Novas formas de controle de pessoal, com câmeras e gradis discretos no lugar dos grandes muros são uma das inovações. Além do que, nos dias de hoje, a Alphaville teve de se preparar para lançar projetos para diferentes classes sociais, como o Terras de Alphaville, que trabalha com um tíquete médio de venda mais barato do que o empreendimento tradicional.
Segundo André Sá, diretor de marketing do consórcio Arena Pernambuco, segurança é a preocupação da Cidade da Copa, por isso o Centro de Comando e Controle Integrado da polícia do estado vai ser transferido para o local, em uma área de 12 mil m². Também serão instaladas 100 monitores de 46 polegadas cada, com investimentos de R$ 98 milhões do governo do estado. Quanto aos muros dos condomínios, Sá afirma que ainda não ficou definido que tipo de residencial será construído no local. Mas uma coisa ele garante, este pode ser o primeiro de outros projetos. "O objetivo é criar uma referência de sucesso", afirma Sá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário