terça-feira, 14 de junho de 2011

Recife terá investimento de R$ 1,6 bi em obras de mobilidade para a Copa

14/06/2011 - G1 SP, Glanco Araújo

Projetos estaduais foram divulgados à sociedade na segunda-feira (13).

Obras com recursos municipais e do PAC da Mobilidade estão em curso.

Conjuntos habitacionais terão de ser construídos
após desapropriações para obras viárias (Foto:
Divulgação/Prefeitura Municipal do Recife)

A série de obras de mobilidade urbana no Recife prevê a construção de corredores viários, de conjuntos habitacionais, projeto de saneamento básico, recuperação de duas rodovias e a criação de corredores exclusivos para transporte públicos. Os investimentos somam R$ 1,6 bilhão, vindos das administrações estadual e municipal e dos programas de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade e da Copa.

O objetivo é preparar a cidade para receber turistas nacionais e internacionais durante a Copa do Mundo de 2014 e beneficiar a população local após o evento esportivo. Entre as principais obras na esfera municipal, o principal é sistema viário chamado Via Mangue, composto por faixas de rolamento para veículos, calçadas para pedestres e ciclovia.

"Serão mais de 4,7 quilômetros de extensão, no sentido Centro até Boa Viagem. No sentido contrário, a via terá 4,3 quilômetros. A execução desse trecho vai englobar a construção de dois elevados por sobre a Rua Antônio Falcão, em Boa Viagem; de oito pontes; duas alças de acesso; alargamento da Ponte Paulo Guerra e do Viaduto Capitão Temudo, e de um pequeno túnel", disse Sílvio Bom Pastor, secretário executivo da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), no Recife.

A primeira etapa da Via Mangue da obra começou em abril de 2011 e deve ser concluída em 30 meses. O custo total é de R$ 434 milhões, em parceria da prefeitura com o governo Federal, que conta com recursos do Orçamento Geral da União (OGU), por meio do PAC da Mobilidade.

Ilustração com o corredor Via Mangue pronto no Recife (Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal do Recife)

"Vamos precisar deslocar 1,2 mil famílias que vivem na região das comunidades Xuxa e Deus nos Acuda. Serão três conjuntos habitacionais, sendo que um deles já foi entregue, em abril de 2010, para 352 famílias. São onze unidades com 32 apartamentos. Ainda estamos negociando as indenizações para 200 famílias pelas desapropriações que serão necessárias. Para essa etapa, foram investidos R$ 16 milhões", disse Pastor.

Os outros dois habitacionais, Via Mangue I e II, estão em construção desde 2008. O investimento é de R$ 29,4 milhões e a expectativa da Prefeitura Municipal do Recife é de entregá-los no segundo semestre de 2011. As construções abrigarão famílias que moravam nas comunidades Beira Rio, Jardim Beira Rio, Pantanal e Deus nos Acuda.

Velocidade máxima

Segundo a prefeitura, a Via Mangue, quando estiver pronta, será a primeira via expressa do Recife, com velocidade média de 60km/h. Ela não terá semáforos ou cruzamentos. "Também servirá como cinturão de proteção do manguezal do Rio Pina, porque vamos tirar as moradias que estavam sobre o mangue e evitar o despejo direto de esgoto doméstico como ocorria antes. Pronto, o sistema ainda vai permitir a implantação de um corredor exclusivo de ônibus no corredor Norte-Sul", disse Pastor.

Por conta das obras viárias, uma área de 221 hectares receberá ações de saneamento integrado com a implantação de rede de saneamento, estações elevatórias e emissários de esgoto. "Vamos contribuir com a recuperação do meio ambiente, já que o esgoto doméstico de quem vivia na área era jogado direto no manguezal", afirmou o secretário executivo da Secopa. O investimento é de R$ 74,3 milhões. (Veja abaixo a lista das obras)

OBRA 

TIPO 

CUSTO 

PÚBLICO

FINANCIAMENTO

ANDAMENTO

Via Mangue 

Sistema viário, alças de acesso, elevados e túneis 

R$ 331 milhões 

Não informado 

Recursos municipais e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade 

Em execução

Saneamento Básico 

Construção de esgotamento em Boa Viagem e Imbiribeira 

R$ 74,3 milhões 

220 mil pessoas 

Recursos municipais e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade 

Em execução

Habitação 

Construção de três conjuntos habitacionais 

R$ 57,9 milhões 

1,2 mil famílias 

Recursos municipais e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade 

Em execução

Corredor Norte-Sul 

R$ 332 milhões 

Não informado

Recursos estaduais e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade 

Em licitação

Corredor Leste-Oeste 

Corredor 

R$ 225 milhões 

Não informado

Recursos estaduais e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade 

Em licitação

PE-05 

Recuperação 

R$ 68 milhões 

Não informado

Recursos estaduais e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade 

Em licitação

BR-101

Recuperação e construção de corredor exclusivo de transporte público 

R$ 480 milhões

Não informado

Recursos estaduais e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade 

Em licitação

Radial da Copa

Corredor

R$ 95 milhões

Não informado

Recursos estaduais e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade 

Em licitação

Parceria entre governos Estadual e Federal

As obras de mobilidade urbana sob a responsabilidade do governo de Pernambuco estão relacionadas ao transporte público e têm objetivo de melhorar o trânsito no Recife e Região Metropolitana. As intervenções também vão viabilizar o acesso a São Lourenço da Mata (PE), onde está a arena pernambucana da Copa do Mundo de 2014. Todas estão em fase de licitação e algumas ainda passam por estudos técnicos.

Na próxima segunda-feira (13), os projetos de Mobilidade Urbana serão apresentados ao público em audiência pública promovida pela Secretaria das Cidades, no Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE). Após a audiência, o governo estadual terá 15 dias úteis para publicar o edital de licitação dos projetos.

Parte dos recursos para execução dessas obras está garantida pelo PAC da Copa (cerca de R$ 347 milhões) e o restante está sendo objeto de captação também no PAC da Mobilidade e com o governo do estadual.

Obras

Entre os projetos estão o corredor Leste-Oeste, que vai da Praça do Derby até a Estação Cosme Damião, na Cidade da Copa, com custo estimado de R$ 225 milhões. O corredor Norte Sul, entre Igarassu (PE) e Recife, tem custo de R$ 332 milhões. Outros R$ 480 milhões serão destinados a obras de recuperação da rodovia BR-101.

Segundo Gilberto Pimentel, secretário executivo de Relações Institucionais da Secopa, os três trechos terão corredores exclusivos de ônibus, tipo BRT (Bus Rapit Transit), também chamado de TRO (Transporte Rápido de Ônibus). "Os veículos vão circular em vias exclusivas, o embarque e desembarque serão feitos em estações menores e a tarifa será cobrada antes de o passageiro entrar no veículo."

Os corredores de transporte público a serem construídos na Avenida Norte e no corredor Norte-Sul, que liga o Tacaruna à zona Sul da Região Metropolitana, ainda está em fase de estudo. O Consórcio Galvão Engenharia, Construtora Norberto Odebrecht e Odebrecht Transport ainda vai indicar o modelo de transporte a ser usado no trecho. As opções são o BRT ou o Monotrilho (trem montado sobre um único trilho, elevado por colunas de concreto).

A rodovia PE-05 será recuperada em obra orçada em R$ 68 milhões. A Radial da Copa, também chamada de Acesso à Copa, terá investimento de R$ 95 milhões.

De acordo com a Secretaria das Cidades, cada obra deve demorar cerca de 24 meses para serem concluídas.

domingo, 12 de junho de 2011

Começa a construção da via mangue no Recife
domingo, 12 de junho de 2011

Foi lançada na manhã deste sábado (11)  a pedra fundamental da maior obra viária urbana realizada no Recife nos últimos 30 anos: a Via Mangue. O governador, Eduardo Campos; o prefeito do Recife, João da Costa, o ministro das Cidades, Mário Negromonte; e o senador Humberto Costa foram alguns dos que discursaram na Praça Abelardo Rijo, no Cabanga, Zona Sul. A Via Mangue, orçada em R$ 433,2 milhões, é um projeto desenvolvido pela Prefeitura do Recife em parceria com o Governo Federal através do PAC Copa.
De acordo com o ministro das Cidades, Mário Negromonte, outro ponto interessante da obra é o cuidado com o meio ambiente. ˜Serão preservados mais de 200 hectares de mangue˜, comentou. "Vamos ressaltar uma parte de Boa Viagem que ninguém conhece porque fica atrás dos prédios, mas que é muito bonita", explicou João da Costa.

Caso não ocorram atrasos, a Via Mangue deverá ficar pronta em 30 meses, em setembro de 2013, nas vésperas da Copa do Mundo. "Queremos focar no cronograma da obra", disse o governador.
PROJETO - As obras terão início em dois pontos. O primeiro fica na Rua Imperial, próximo ao viaduto Capitão Temudo, e o segundo na Rua Antônio Falcão. A Via Mangue será composta por faixas de rolamento para veículos, calçadas para pedestres e ciclovia. No sentido Centro/Boa Viagem, terá 4,75km. Já no sentido Boa Viagem/Centro, a extensão é de 4,37km. Esta obra engloba ainda a construção de dois elevados por sobre a Rua Antônio Falcão, em Boa Viagem; de oito pontes (sendo cinco para manutenção do mangue); duas alças de ligação, alargamento da Ponte Paulo Guerra e do Viaduto Capitão Temudo.

http://www.flickr.com//photos/jconline2/sets/72157626813064147/show/

Será a primeira via expressa do Recife, com velocidade média de 60km /h. Não possuirá semáforos ou cruzamentos de tráfego e contemplará ainda a acessibilidade para deficientes e idosos. Com sua implantação, cria-se um cinturão de proteção do manguezal do Rio Pina, melhora-se o tráfego nos bairros de Boa Viagem e do Pina, e abre-se a possibilidade de implantação de um corredor exclusivo de ônibus na Avenida Domingos Ferreira, viabilizando o Corredor Norte-Sul.

JC Online 12/06/2011